21 de março de 2012

Parte 61: Dumping de imagem.


Eu gostaria de falar de um assunto importante, irei batizá-lo de "lacuna".


O que ocorre...


Como sempre fui obeso desde a minha infância, me bate uma certa aflição e curiosidade de saber, como eu deveria ter sido realmente na minha adolescência em questões de aparência.


Parece um pulo, um verdadeiro dumping neste meu lapso temporal, e confesso que sinto um certo vazio dentro de mim.


Em outras palavras, na prática, não só apaguei da memória aquele passado gordo, mas como também uma sensação de pular dos 3 aos 33 entenderam?


Sempre procuro trabalhar isso, mas não é tão simples assim. achoque quando emagrecemos, a primeira coisa que acontece, é justamente querer tirar um monte de fotos, e substituir pela as existentes.


Aqui na minha casa, o que não falta é fotografia atual, mas se por um lado ajuda a consolidar esta minha imagem, por outro lado, contribui também para fortalecer essa vazio.


Espero que com o tempo isto se atenue.


Abraços. 

4 comentários:

  1. um assunto muito importante, como são questões internas, acho que uma opinião externa não ajudaria muito, mas tenho certeza que vc vai encontrar algo pra preencher esse vazio, abraços. Aguardo sua visita no meu blog http://isaclourenco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Luis!
    Rapaz, estou estudando o assunto "bariátrico". Levei quase 3 anos para tomar a decisão, decisão tomada, estou fazendo meus exames para o pré operatório e enfim, buscando conhecimento de todas as formas possíveis sobre o assunto. Sendo assim, conheci os vídeos do Isac, que hoje de manhã acabei de ver os 23!! E acabei chegando aqui...

    E o mais doido, é que hoje de manhã, depois de ver um dos vídeos dele, ler algumas coisas pelo google, vejo que é muito comum ver um "ex gordo" muito pensante no seu "eu" novo. E caindo aqui e vendo vc falar de "Lacuna" eu meio que, apesar de ainda não ter as fotos atuais, penso muito que provavelmente sentirei esse vazio, esse vácuo que vc anda sentindo por aí.

    Tenho alguns bons anos da minha vida (inclusive os atuais) que eu deixei de viver o meu "eu" real, para viver um "eu" que nem sei ao certo se ele é real. rs

    Meio louco...
    Mas obrigada por compartilhar. Me faz refletir e pensar no que vou ganhar depois da minha tão sonhada cirurgia.

    Torça por mim!
    Bjo grande!
    Ana Moutinho
    garotabariatrica@gmail.com

    ResponderExcluir
  3. Olá Ana. Me desculpe a demora. Mas é o que passamos, são muitas transformações, todavia, viver é sempre importante, quero viver e viver mais, foi uma escolha sábia a sua, acredite. Boa sorte e um beijo.

    Luis Henrique.

    ResponderExcluir