21 de fevereiro de 2010

Parte 28 - Qual o peso ideal?


Uma pergunta que não sai da minha cabeça, qual o peso ideal afinal de contas?

Pretendo expor um pouco, os meus pensamentos com relação a este tema. O assunto é importante no universo da gastroplastia, já que a resposta para esta pergunta, pode ser considerada muito relativa.

Tenho acompanhado bem de perto, mas bem de perto mesmo, a vida de alguns colegas que se submeteram à gastroplastia. Nós estamos sempre conversando a respeito deste assunto, trocando informações sobe nutrição, prática de exercícios e também de nossas conquistas após a cirurgia.

Para os mais antigos de cirurgia, percebo que cada um chegou num estágio, que de acordo com os seus objetivos e metas, a acaba considerando o resultado satisfatório. Nós sempre discutimos esse assunto nos fóruns, a questão do peso ideal, metas etc.

A verdade que essa questão do peso é bastante relativa, e acho que muito pessoal também. Eu acredito que quando a pessoa resolve se submeter ao procedimento, espera que todo o excesso de peso seja eliminado, ocorre que nem sempre o tal "milagre" acontece, pois cada pessoa tem um estilo de vida, e eu só parei para perceber isso agora, pois o tempo mostra que a cirurgia sozinha não faz milagre, e não faz mesmo.

Eu vejo que o sedentarismo ainda acompanha algumas pessoas, é questão de perfil mesmo, não gosta, acha chato etc. Eu compreendo que a vida moderna é muito complicada, muito trabalho e a chamada falta de tempo, são motivos para se esquecer desse ponto importante. Comigo era assim também, nos últimos anos, quando não estava na academia, pois em alguns momentos, eu até me motivava e malhava, sempre coloquei a desculpa na falta de tempo e no trabalho. Mas penso que esta cultura deve mudar, não da para deixar que esta rotina ruim volte.

O exercício físico tem que ser de 4 a 5 vezes por semana, e de agora em diante, eu programo a minha vida já contando com os exercícios, pois agora mais do que nunca, eles fazem parte da minha vida, e penso que farão para o resto dela.

Um colega falou uma frase marcante, que resolveu emagrecer para o esporte, e não usar o esporte para emagrecer.

Eu sempre curti esportes, insistia bastante, mas reconheço que usava a musculação e outros esportes para emagrecer, após meses na ralação, perdia 5 ou 6 Kg. Então eu desanimava, e acaba ganhando o peso de volta em dobro.

O meu objetivo inicial era esse, emagrecer para o esporte, e agora já tenho outros objetivos, que em breve serão executados.

E quanto ao peso ideal... Esta é uma questão muito particular, cada um com a sua meta.




13 de fevereiro de 2010

Eventos: Corrida e Caminhada Contra o Câncer de Mama 2010.

Dia 16 de maio de 2010.Inscrições abertas.


A etapa do Rio de Janeiro será realizada no dia 16 de maio com largada e chegada no Monumento aos Expedicionários da Segunda Guerra Mundial (Monumento aos Pracinhas).Os interessados poderão confirmar sua presença e escolher pela Corrida ou pela Caminhada.

Corrida e caminhada - 5 km.As inscrições via INTERNET ou por ficha impressa para a CORRIDA e para a CAMINHADA custarão R$ 45,00.

Será concedido um desconto no valor da inscrição e o PARTICIPANTE pagará o seguinte valor:

Corrida: R$ 40,00 ATÉ 12 DE MAIO DE 2010.
Caminhada: R$ 40,00 ATÉ 12 DE MAIO DE 2010.

10 de fevereiro de 2010

Parte 27 - Rejeição


Quero falar neste tópico, algo que considero muito importante, e que está ligado diretamente ao lado psicológico do tratamento, contra esta doença chamada obesidade.


Eu sempre digo que um dos segredos da gastroplastia, é estar em equilíbrio com sua a própria mente. Adimito que não estou fazendo o acompanhamento psicológico adequado, e da forma como eu gostaria que estivesse sendo feito, mas por questões particulares da minha vida, não está sendo possível, estou num semestre muito complicado, e para ser sincero, eu já até esperava por isso. Mas sinto falta, preciso o quanto antes procurar o profissional especializado, para contar um pouco das minhas experiências, vitórias, frustrações etc.


Mas sabe que escrever me ajuda muito! Sim! Me ajuda muito, aqui vou escrevendo o que venho pensando e vivenciando na vida, e se eu mesmo parar para puxar o histórico de tópicos, posso ver o quanto os meus pensamentos estão mudando, ao longo desta jornada de emagrecimento e mudança de vida.


O emagrecimento rápido provoca transtornos, é difícil você olhar para o espelho e dar de cara com uma pessoa totalmente diferente, é como ter nascido após os 33 anos de idade, pois nunca na minha vida eu me vi magro, afinal de contas, se foram 60 Kg pelo ralo.


Outro dia estava vendo um filme, um filme bem antigo, mas muito marcante, chamado de MASK, mas aqui no Brasil ganhou o nome de MARCAS DO DESTINO, ele foi estrelado pela atriz e cantora americana Cher.


O filme é um Drama baseado na história verdadeira de Rocky Dennis, um adolescente que nasceu com uma estranha deformidade no rosto e todos acham que usa uma máscara. Cher, em seu papel principal no cinema, é Rusty, a mãe do rapaz. Com a ajuda do amor descompromissado e a inabalável determinção de Rusty, Rocky enfrenta a dor, a solidão e os preconceitos para emergir como um extraordinário jovem que se torna uma inspiração para seus colegas e professores.


Quando eu vi este filme eu tinha uns 12 anos, e como falei anteriormente, acabei tendo interesse em revê-lo, pois uma das cenas me marcou muito. O menino passava por vários preconceitos por causa da sua aparência, e em das cenas do filme, um grupo de amigos foram com ele num divertido parque temático, e lá, me recordo bem, existia um briquedo chamado " Casa dos espelhos", ao entrar e passar pelos espelhos, acontecia o inesperado, ou seja, quem era magro, ficava gordo diante de um determinado espelho, quem era gordo ficava magro, o alto ficava baixo, e assim por diante. Eu me lembro que o menino parou diante de um dos espelhos, e o reflexo do seu rosto deformado pela doença, acabava justamente mostrando o inverso, o rosto dele ficou praticamente normal, não evidenciava mais aquela deformidade.

Eu me sentia assim, deformado pela obesidade, e só sei bem o que é isso somente agora, é agora que realmente eu sei o que é sentir isto na pele, ou melhor, para ser mais claro, somente agora é que "caiu a ficha" do sentimento do passado.


Atualmente estou passando por algo novo, eu estou com uma espécie de "rejeição" à minha imagem do passado. Aqueles "antes e depois" que todo mundo gosta de fazer no universo da Gastroplastia, deixou de ser um prazer pra mim, eu amo a imagem atual, mas odeio a imagem do passado, são lembranças de humilhações, chacotas, preconceitos dos mais diversos, seja na família ao redor (não a de casa), nos tempos da escola, ou como em qualquer outro canto da sociedade.

Me incomoda bastante olhar fotografias do passado, e aqui em casa tem um monte, aos poucos eu estou trocando cada uma delas, fazendo uma espécie de transição do passado e presente. Minha mãe por exemplo não entende muito bem essas coisas, ela se ofende quando eu falo que não suporto ver mais minha foto de formando, que eu tirei em 2001, faz tempo... Mas eu relevo, sei que para ela eu sempre serei o mesmo filho de sempre, mesmo com seus 60 Kg a menos.


Acho que com meus colegas de cirurgia, não deve ter sido diferente, acredito que muitos devam ter passado por esta fase, mas acho que o importante é não "surtar", é procurar viver normalmente, já que por outro lado, temos a vida diante dos nossos olhos para ser desfrutada, é viver, fazer o bem e colher bons frutos, é isso que eu penso agora.


Saudações.


8 de fevereiro de 2010

Menos peso, menos desgaste e mais resistência.

A todo o instante estamos sempre fazendo comparações, comigo não é diferente, volta e meia eu me flagro pensando em coisas que eu faço hoje, e que tempos atrás, não fazia ou nem pensava em fazer mesmo. Mas tem aquelas situações que mesmo obeso, você fazia questão de se aventurar...

Não estou nem falando das minhas tentativas com o esporte, estou falando de qualquer outra coisa, que leve a pessoa ao cansaço. Por exemplo: Assistir um show lotado em pé no Morumbi em são Paulo.

Pois é, exatamente isso mesmo, um show, mas só que de Rock. Eu particularmente curto o som pesado, e na semana passada, me aventurei com dois amigos, nosso destino era São Paulo, para assistir na pista, o show da mega banda METALLICA.

Fomos de carro, tudo tranquilo, conversando, e eu já na minha rotina de alimentação saudável, aliás, sempre! Eu procurar levar uma espécie de "kit de primeiro socorros". Chegamos lá depois da viagem de 5 horas, fui comer etc e tal, e depois partimos pro show. Chegando lá no Morumbi, nós fomos encarar a fila, estava chovendo no início, tinha um pouco de tumulto, e principalmente, pouca opção de comida para um gastroplastizado, e tudo isso para curtir um som legal.

É ou não é uma aventura?

Passou o show, que por sinal foi maravilhoso, e percebi que tínhamos concluído, uma maratona de mais ou menos 5 horas. Foi uma jornada exaustiva, mas depois de estar voltando do show, fiquei pensando em muita coisa. O esgotamento físico foi 1000 vezes menor que no passado, a diferença era impressionante, antes com 60 Kg a mais, ficar em pé para assistir um show desses, exigia muito do meu corpo, eu me sentia muito cansado, os joelhos reclamavam muito, o tornozelo nem se fala. Eu me lembro que até sentava no chão em alguns shows, e tudo isso por causa das dores mesmo.


Mas desta vez foi muito diferente, estava bem, rindo, feliz com o show sim, mas feliz por aguentar na boa, a maratona que foi nesse dia. São esses e diversos outros benefícios, que venho colhendo a cada dia, coisas simples, mas não há como não pensar nisso.

É claro que não sou nenhum neurótico, mas a cada descoberta, eu faço mesmo uma comparação, as lembranças do passado ainda percorrem a minha cabeça. Eu fico feliz por este resultado, pois é o que eu mais queria na minha vida, ser visto como alguém normal, alguém que ao ser avistado, não seria alvo de gozações ou de desconfiança por causa das inevitáveis limitações.

E que venham muitos outros shows pela frente!

Abraços e viva o Rock And Roll!